Tratamento do Câncer de Próstata – Novembro Azul

O tratamento é diferente para o câncer de próstata precoce e avançado.

quimioterapia

Câncer de próstata em estágio inicial

Se o câncer é pequeno e localizado, geralmente é gerenciado por um dos seguintes tratamentos:

Espera ou monitoramento vigilantes: os níveis séricos de PSA são verificados regularmente, mas não há ação imediata. O risco de efeitos colaterais, por vezes, supera a necessidade de tratamento imediato para este câncer de desenvolvimento lento.

Prostatectomia radical: a próstata é removida cirurgicamente. A cirurgia tradicional requer internação hospitalar de até 10 dias, com tempo de recuperação de até 3 meses. A cirurgia de fechadura robótica envolve um período mais curto de hospitalização e recuperação, mas pode ser mais dispendioso. Os pacientes devem falar com sua seguradora sobre cobertura.

Braquiterapia : Sementes radioativas são implantadas na próstata para fornecer tratamento de radiação direcionada.

Radioterapia conformada: Os feixes de radiação são moldados de modo que a região onde eles se sobrepõem é tão próxima da mesma forma como o órgão ou região que requer tratamento. Isso minimiza a exposição dos tecidos saudáveis ​​à radiação.

Radioterapia com intensidade modulada: são utilizados feixes com intensidade variável. Esta é uma forma avançada de radioterapia conformada .

Nos estágios iniciais, os pacientes podem receber radioterapia combinada com terapia hormonal por 4 a 6 meses .

As recomendações de tratamento dependem de casos individuais. O paciente deve discutir todas as opções disponíveis com seu urologista ou oncologista.

novembro azul

Câncer de próstata avançado

O câncer avançado é mais agressivo e se espalhará por todo o corpo.

A quimioterapia pode ser recomendada, pois pode matar células cancerígenas em todo o corpo.

Terapia de privação androgênica (ADT) , ou terapia de supressão androgênica, é um tratamento hormonal que reduz o efeito do andrógeno. Os andrógenos são hormônios masculinos que podem estimular o crescimento do câncer. ADT pode retardar e até parar o crescimento do câncer, reduzindo os níveis de andrógenos.

O paciente provavelmente precisará de terapia hormonal a longo prazo .

Mesmo que a terapia hormonal pare de funcionar depois de um tempo, pode haver outras opções. A participação em ensaios clínicos é uma opção que um paciente pode querer discutir com o médico.

A prostatectomia radical não é atualmente uma opção para casos avançados, pois não trata o câncer que se espalhou para outras partes do corpo.

Fertilidade

Como a próstata está diretamente envolvida com a reprodução sexual, sua remoção afeta a produção de sêmen e a fertilidade.

A radioterapia afeta o tecido da próstata e reduz frequentemente a capacidade de gerar filhos. O esperma pode ser danificado e o sêmen insuficiente para o transporte de espermatozoides.

Opções não-cirúrgicas também podem inibir severamente a capacidade reprodutiva de um homem.

cancer de próstata

Opções para preservar essas funções podem incluir doar para um banco de esperma antes da cirurgia, ou ter esperma extraído diretamente dos testículos para inseminação artificial em um óvulo. No entanto, o sucesso dessas opções nunca é garantido.

Pacientes com câncer de próstata podem falar com um médico de fertilidade se eles ainda pretendem ter filhos.

Outubro Rosa – Importância sobre a Conscientização

O que é Câncer de Mama?

O câncer de mama é resultado de uma multiplicação de células anormais na mama, que forma um tumor com potencial de invadir outros órgãos. Quanto mais cedo o diagnóstico, mais chances de cura. Se descoberto no início, há 95% de probabilidade de recuperação total.

outubro rosa campanha

Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), o câncer de mama é o tipo de câncer mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, depois do de pele não melanoma, respondendo por cerca de 28% dos casos novos a cada ano. O câncer de mama também acomete homens, porém é raro, representando apenas 1% do total de casos da doença. É o tipo que mais provoca a morte de mulheres no Brasil. A estimativa é de 60 mil novos casos por ano em mulheres cada vez mais jovens.

Causas do Câncer de Mama

Não há uma causa única para o desenvolvimento da doença, porém há alguns fatores de risco que estão relacionados ao aparecimento do câncer de mama. O risco de desenvolver a doença aumenta com a idade, sendo maior a partir dos 50 anos. Veja quais os outros fatores:

Comportamentais/ambientais

  • Obesidade e sobrepeso após a menopausa.
  • Sedentarismo (não fazer exercícios).
  • Consumo de bebida alcoólica.
  • Exposição frequente à radiações ionizantes (raios X, mamografia e tomografia).

História reprodutiva/hormonais

  • Primeira menstruação (menarca) antes de 12 anos.
  • Não ter tido filhos.
  • Primeira gravidez após os 30 anos.
  • Não ter amamentado.
  • Parar de menstruar (menopausa) após os 55 anos.
  • Ter feito uso de anticoncepcionais orais por tempo prolongado.
  • Ter feito reposição hormonal pós-menopausa, principalmente por mais de cinco anos.

Hereditários/genéticos

  • História familiar de: câncer de ovário;câncer de mama em homens; câncer de mama em mulheres, principalmente antes dos 50 anos;
  • Alterações genéticas herdadas na família, especialmente nos genes BRCA1 e BRCA2.

Sintomas

As mulheres devem ficar atentas às mudanças em seu corpo, que podem indicar a presença do câncer de mama. Os principais sinais e sintomas da doença são:

  • caroço (nódulo) fixo, endurecido e, geralmente, indolor;
  • pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja;
  • alterações no bico do peito (mamilo);
  • pequenos nódulos na região embaixo dos braços (axilas) ou no pescoço;
  • saída espontânea de líquido dos mamilos.

As mulheres devem procurar imediatamente um serviço para avaliação diagnóstica ao identificarem alterações persistentes nas mamas. No entanto, tais alterações podem não ser câncer de mama.

A importância do autoexame

O câncer de mama pode ser detectado em fases iniciais, em grande parte dos casos, aumentando assim as chances de tratamento e cura. É importante que as mulheres fiquem atentas a qualquer alteração suspeita na mama. Quando a mulher conhece bem suas mamas e se familiariza com o que é normal para ela, pode estar atenta a essas alterações e buscar o serviço de saúde para investigação diagnóstica.

Para mais informações acesse: https://med-br.com/